número 12 | 04/11/2009 a 17/11/2009

Destaque

Opinião

Como driblar o mau-humor?

“Quando estou com mau-humor, primeiramente, costumo identificar qual a situação que trouxe aquele mau-humor. Se o problema não tem haver com o trabalho, tento relaxar por um tempo, gerenciar isso e continuar fazendo meu trabalho. Caso a situação do mau-humor tenha sido gerada durante o trabalho, aí, fica mais complicado. Se é com um colega de trabalho, superior ou subordinado, nada melhor do que contar de um a dez”. 

Sérgio Luiz Martins Pereira – curso de pós-graduação em MBA Gestão de Négócios

“Eu procuro pensar em alguma coisa boa, escutar uma música, de repente parar o que estou fazendo e dar uma volta para esfriar a cabeça; não deixar que o mau-humor me atrapalhe. A pessoa mau-humorada não consegue raciocinar, produzir, tem dificuldades em expor suas idéias. Ela fica tão insatisfeita, mau-humorada que acabada se atrapalhando, inclusive, fazendo mal para sua própria saúde”.


Leci Rodrigues da Silva – curso de pós-graduação em Direito Processual

Oportunidades

Acontece na PUC

Acontece em BH

Para sugerir pautas, indicar eventos, divulgar oportunidades de trabalho ou enviar seus comentários, escreva para imprensaiec@pucminas.br ou ligue para (31) 3269 3263