Universidade estabelece metas e ações para redução do consumo de insumos

A PUC Minas estabeleceu a meta de 30%, em vigor desde o início deste mês de março, na redução no consumo de água e energia elétrica em todos os campi e unidades da Universidade, de acordo com definição da Pró-reitoria de Logística e Infraestrutura (Proinfra), mesmo índice divulgado pelo governo de Minas Gerais, por meio da Copasa. Com a aproximação do término do verão e o início, nos próximos meses, do período de estiagem na Região Sudeste, a Universidade intensifica ações que já existiam e outras que estão sendo implantadas junto à comunidade universitária para a redução no consumo de insumos, especialmente água, energia elétrica, telefone e impressão de papéis.

O pró-reitor de Logística e Infraestrutura, professor Rômulo Albertini Rigueira

A ideia é que mês a mês sejam divulgados os percentuais de redução desses insumos alcançada pela comunidade universitária. “É uma meta muito audaciosa, principalmente quando já trabalhávamos com ações de conscientização, então a margem para economizar é menor. Para isso, terá que haver a participação de toda a comunidade universitária”, conclama o diretor de Infraestrutura da Sociedade Mineira de Cultura (SMC), mantenedora da PUC Minas, professor Rômulo Albertini Rigueira, que também é pró-reitor de Logística e Infraestrutura da Universidade.

“O Brasil precisa pensar culturalmente não somente para economizar água e energia elétrica, mas economizar tudo”, observa. "Setenta por cento da energia elétrica gerada no País é hidráulica, então uma crise de água é crise de energia. A situação é grave", reforça. Para ele, a população brasileira não está preparada para economizar, já que o Brasil sempre teve abundância de recursos naturais, convivendo-se diariamente com o desperdício, inclusive de alimentos. “A Universidade tem a obrigação de mudar a cultura, estimulando a cultura do coletivo”, pontuou.

O pró-reitor chama a atenção para a importância de cada membro da comunidade universitária adotar atitudes diárias de economia na utilização de insumos, seja apagar a luz quando sair de uma sala de aula ou no trabalho; utilizar menos folhas de papel-toalha ao secar as mãos, atitude que já havia sido beneficiada, há alguns anos, com a troca pela Universidade por papel de melhor qualidade de absorção; pressionar com menor intensidade descargas de sanitários e torneiras; priorizar a leitura de forma digital, imprimindo documentos somente quando imprescindível, utilizando frente e verso; incentivo ao uso de ventiladores ao invés do aparelho de ar-condicionado, devendo este funcionar somente com portas e janelas fechadas e temperatura entre 22º e 25ºC; priorizar o uso de canecas para o consumo de líquidos e, se houver o consumo de copo descartável no ambiente de trabalho, que sirva para o dia inteiro, sem utilizar um novo a cada vez que se tome água ou café, por exemplo.

Medidas em implementação

Entre as ações que estão sendo implantadas pela Universidade, por meio da Proinfra, estão: diminuição da iluminação externa, entre os prédios, durante a madrugada, entre 23h e 6h da manhã, sem atrapalhar a segurança; no mesmo horário, quando há serviço de limpeza em alguns prédios, é diminuída a utilização de lâmpadas em um terço; manutenção preventiva e corretiva e a intensificação do monitoramento de vazamentos em torneiras e sanitários por equipe da Proinfra (os telefones 31-3319-4990, da manutenção civil no campus Coração Eucarístico, e os dos setores de Infraestrutura nas unidades estão disponíveis para comunicar vazamentos de água); e a troca de aparelhos antigos de ar-condicionado por mais novos, mais econômicos. No campus Coração Eucarístico, a empresa terceirizada, que emprega 160 trabalhadores na limpeza, está intensificando, a pedido da PUC Minas, a conscientização dos trabalhadores para a redução do consumo de água e energia nas tarefas diárias na Universidade, priorizando a utilização de vassoura, pano úmido e produtos de limpeza. A PUC Minas também está investindo na aquisição de máquinas de limpeza a seco e de produtos de limpeza que requerem menos água.

Outras ações foram implantadas recentemente pela Proinfra: coletores solares na academia e nos vestiários do Complexo Esportivo; instalação de contentores de vazão de água nas torneiras automáticas, que abrangerá todos os campi e unidades da Universidade, incluindo as 621 existentes somente no campus Coração Eucarístico, em um total de 90 prédios; a instalação de medidores, agrupando setores, a fim de monitorar o consumo e detectar melhor possíveis vazamentos, tendo em vista a grande dimensão de cada campus e unidade da Universidade; reforma dos banheiros, com substituição das instalações hidráulicas por modelos mais eficientes e econômicos.

A Universidade trabalha, por meio da Gerência de Tecnologia da Informação (GTI), para a implantação de uma política de gerenciamento de energia dos 2.714 computadores da rede administrativa da Universidade, desligando automaticamente funções parciais de um computador que fique em inatividade por determinado tempo ou funções completas após o horário de trabalho de cada setor (veja neste informativo matéria sobre este assunto).

Há alguns anos, explicou o pró-reitor Rômulo Albertini, a Universidade também já havia construído poços artesianos em cada campus e unidade, o que diminuiu a dependência de água da rede pública, mas, mesmo assim, não afasta a necessidade de economia por parte da comunidade universitária, já que esses poços também podem secar. A Universidade está estudando a viabilidade técnica e econômica de se utilizar água dos poços artesianos do campus Coração Eucarístico para fazer a irrigação do jardim central, já que necessita de bombeamento e canalização. A frequência da irrigação do jardim central ficou restrita a longos períodos de estiagem. Torneiras de ambientes externos também estão sendo lacradas, sendo possível a utilização somente após justificativa. No Complexo Esportivo, está havendo o rodízio da irrigação do campo de futebol, sem prejuízo para o gramado.

O pró-reitor informa que no campus Coração Eucarístico existe uma caixa de retenção de água de chuva, para evitar inundação da cidade, de cerca de cem metros quadrados, com capacidade para 700 metros cúbicos de água (ou 700 mil litros), que se localiza no estacionamento em frente ao prédio da Reitoria (prédio 2). Segundo ele, a Universidade irá estudar a viabilidade econômica e técnica de se utilizar essa água da chuva, já que seria necessária a filtragem e bombeamento, por exemplo, para molhar os jardins.

Já no campus em Poços de Caldas, o prédio 9, previsto para ser inaugurado ainda neste semestre, está sendo construído com um moderno sistema de captação de água da chuva. Serão instalados dois tanques com capacidade de armazenamento de 30 mil litros de água. Depois de tratada, a água será reutilizada para limpeza das áreas externas do prédio e para as descargas dos banheiros.

  • Divulgação mês a mês dos percentuais de economia alcançados pela comunidade universitária
  • Diminuição da iluminação externa, entre os prédios, no fim da noite, entre 23h e 6h da manhã, sem atrapalhar a segurança
  • Diminuição da utilização de lâmpadas para limpeza de prédios, em um terço
  • Intensificação do monitoramento de vazamentos em torneiras e sanitários por equipe da Proinfra (os telefones 31-3319-4990, da manutenção civil no campus Coração Eucarístico, e os dos setores de Infraestrutura nas unidades estão disponíveis para comunicar vazamentos de água)
  • Troca de aparelhos antigos de ar-condicionado por mais novos, mais econômicos
  • Intensificação da conscientização dos trabalhadores da limpeza para a redução do consumo de água e energia nas tarefas diárias, com priorização da utilização de vassoura, pano úmido e produtos de limpeza
  • Aquisição de máquinas de limpeza a seco e de produtos de limpeza que requerem menos água
  • Instalação de contentores de vazão de água nas torneiras, diminuindo a pressão, o que permite uma economia de 66,6% de água
  • Instalação de medidores de água, agrupando setores, a fim de detectar com mais facilidade possíveis vazamentos
  • Desligamento parcial de computadores da rede administrativa em inatividade ou totalmente após o horário de trabalho do setor. Esta ação permite a economia de 50,36% no custo de energia mensal por máquina. Essa solução evita o desperdício de até R$28,5 mil de energia por mês
  • Campanhas de conscientização desenvolvidas pela Secretaria de Comunicação, a partir de propostas apresentadas aos comitês geral e locais de Comunicação Interna e da Proinfra


  • Implantação da automação da iluminação nos ambientes internos
  • Ampliação dos sistemas de armazenamento da água da chuva para uso na irrigação e para outros fins
  • Instalação de hidrômetros individuais permitindo assim mensurar o consumo por prédio e detectar desperdícios
  • Substituição das lâmpadas atuais por lâmpadas de menor consumo, maior durabilidade e eficiência
  • Implantação de mictórios ecológicos (não utiliza água e o produto químico usado não agride o meio ambiente) e nova tentativa de implantação do sistema de descargas a vácuo


  • Reforma dos banheiros, com substituição das instalações hidráulicas por modelos mais eficientes e econômicos. Somente no campus Coração Eucarístico são 598 vasos sanitários e descargas
  • Afixação de cartazes, nos banheiros e corredores, da campanha Água, um bem de todos. Para não faltar, é necessário economizar, desenvolvida pela Secretaria de Comunicação, também para as redes sociais e informativos da Universidade
  • Instalação de coletores solares na academia e nos vestiários do Complexo Esportivo
  • Troca da iluminação interna do Museu de Ciências Naturais, economia que chegou a 52% em um ano com lâmpadas LED
  • De 2012 a 2014, houve uma redução de 32,20% nos gastos com telefone
  • Perfuração de poços artesianos em todos os campi e unidades, diminuindo a dependência de água da rede pública
  • Diminuição da frequência de irrigação do jardim central do campus Coração Eucarístico
  • Lacre nas 200 torneiras de pátios e jardins do Coração Eucarístico, com possibilidade de uso após justificativa
  • Rodízio da irrigação do campo de futebol do Complexo Esportivo, sem prejuízo para o gramado


  • Apague a luz ao sair do recinto
  • Pressione com menos intensidade descargas e torneiras
  • Utilize no máximo dois papéis-toalha para as mãos
  • Desligue o computador ao sair para almoço e ao final do expediente
  • Priorize a leitura de forma digital, imprimindo documentos somente quando imprescindível, utilizando frente e verso
  • Priorize o uso de ventiladores ao invés de ar-condicionado. Este deve funcionar entre 22º e 25ºC e com portas e janelas fechadas
  • Priorize o uso de canecas ou evite utilizar novos copos descartáveis a cada tomada de água ou café
  • Priorize assuntos de trabalho ao falar ao telefone

Fonte: Pró-reitoria de Logística e Infraestrutura da PUC Minas